Azeite Extra Virgem Oliveclub Koroneiki - Grécia Maximizar

Azeite Extra Virgem Oliveclub Koroneiki - Grécia only for

11,77 €

Proveniência: Grécia

Koroneiki é a principal variedade da azeitona que se produz na Grécia, onde se obtém um azeite de oliveira virgem extra de grande qualidade.

Trata-se de um azeite bastante cremoso um com ligeiro sabor amargo e um picante bastante equilibrado, com aromas a erva cortada, alcachofra e maçã.

Disponível em embalagens de 2,3,6,9 e 12 casos, sendo capaz de combiná-los com diferentes variedades.

20ml x 10 garrafas=200ml

Frete grátis a partir de 45€ para Portugal.

More details

Koroneiki

Share:

No coração de Laconia, uma das regiões mais importantes na produção de azeite de oliveira na Grécia, en Agricultural Cooperatives Union-Laconia, obtém-se este fantástico azeite de oliveira virgem extra da variedade koroneiki, o qual, levamos à mesa.

A oliveira na Grécia conta com uma história tão antiga como cativadora. Segundo a mitologia grega, a origem desta árvore milenária dá-se em toda a cidade, agora conhecida como Atenas. A oliveira surge como resultado da concorrência entre Atenas, a deusa da sabedoria, e Poseidón, o deus dos mares, sendo que o vencedor se converteria no protetor de uma nova cidade.

Zeus impôs-lhes uma prova, sendo que o vencedor levaria as honras.

Teriam que oferecer o presente mais precioso aos habitantes da cidade.

Poseidón cravou o seu tridente numa rocha, de onde brotou uma fonte de água salgada que quase inunda a cidade. Atenea, por sua parte, mergulhou a sua lança na rocha e a primeira oliveira surgiu nas portas da Acrópole. Considerando o seu presente mais valioso, os habitantes da nova cidade declararam Atenea vencedora, e deram o seu nome à cidade, em sua honra. Até ao dia de hoje, existe uma oliveira onde tudo isto se verificou.

Desde então, na antiga Grécia, a oliveira considerou-se como uma árvore mágica que simboliza a imortalidade, a vida, a vitória, a fertilidade e a paz, cuja origem se encontrava nos Deuses. Outro símbolo com que se identificava, era com as suas ramas, que transmitiam uma mensagem de paz e tolerância entre os habitantes. 

A oliveira teve um papel essencial nas primeiras Olimpíadas, uma vez que a primeira tocha olímpica foi uma rama de oliveira em chamas e os vencedores olímpicos, recebiam como prémio uma coroa recheada de ramas de oliveira.

Além disto, acreditava-se que os filhos das divindades nasciam debaixo das ramas desta oliveira, pelo que era usual, levar as mulheres grávidas a dormir debaixo das árvores.

Tal era a importância que os gregos antigos atribuíam à oliveira que inclusive existia uma legislação rígida, relativamente à sua utilização e proteção. Quem arrancasse uma oliveira próximo da acrópole podia ser condenado ao exílio, além de lhe serem confiscados todos os seus bens.

  • CÔR: Verde muito intenso e muito transparente.
  • SABOR: Grande cremosidade, com um ligeiro sabor amargo e um picante muito equilibrado.
  • ODOR: Aromas verdes e maduros, com tonalidades a erva cortada e alcachofra, presença de maçã e figueira.
  • USO: Genial para sobremesas doces, saladas e laranjas.